Caso acende discussão sobre feminicídio em Serrinha.

O desfecho do caso que emocionou e chocou Serrinha no último fim de semana foi desolador. Daiane Motta, a jovem que havia desaparecido na tarde do último sábado (16), foi encontrada morta na manhã do dia seguinte. Junto com a jovem, faleceu a filha que ela estava esperando em seu oitavo mês de gestação.

O crime bárbaro causou revolta e a Polícia Civil logo mobilizou agentes para investigar o caso. Até o domingo não havia um acusado claro para o crime, mas nesta segunda-feira (18), após ser ouvido pela Polícia, o marido de Daiane, Adilson Prado Lima Júnior, 25, foi preso em flagrante pelo crime de feminicídio após confessar ter assassinado a própria esposa por ciúmes.

De acordo com o assassino, o mesmo que denunciou o desaparecimento de Daiane à polícia, ele a teria matado a jovem porque desconfiava que a criança que a ela estaria esperando não seria sua filha, mas filha ex-companheiro da vítima. Ele então a teria levado próximo ao povoado de Barra do Vento BA-409 e a executado com um tiro na nuca.

Daiane, de 25 anos, estava preparada para dar à luz nesta segunda-feira (18). A jovem, que trabalhava em uma farmácia de Serrinha, tem um filho de três anos de um relacionamento anterior. Ela vivia com Adilson às margens da BA-409, próximo à rodoviária de Serrinha. A família da vítima não aceita a perda e cobra justiça. Adilson segue preso à disposição da Justiça.

Feminicídio

O caso do assassinato brutal da jovem Daiane, além de revolta popular, reascende a discussão sobre a incidência do crime de feminicídio na cidade de Serrinha. Com fama hospedar “as mulheres mais bonitas da Bahia”, o município apresenta um crescente número de casos de violência contra mulheres. Apesar disso, a cidade não conta com nenhuma Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM).

Apesar da natureza doméstica, ou seja, dos casos de feminicídio em geral serem cometidos por maridos e companheiros das vítimas, os crimes também tem aumentado em razão da expansão do crime organizado na região do sisal nas últimas décadas. Cada vez mais mulheres, em geral de baixa renda, são recrutadas pelo tráfico e acabam expostas ainda mais á violência perpetrada por homens. Neste mesmo domingo (17), duas jovens foram apreendidas tentando levar drogas em suas partes íntimas para ao presídio de Segurança Máxima de Serrinha. Investigações tentam saber se ambas estariam sendo coagidas por criminosos à prática.

No mesmo fim de semana, Sivaneide Pereira dos Santos Gomes, de 39 anos, foi executada em Serrinha, na altura da BR-116, enquanto se dirigia ao mesmo presídio para visitar o marido, preso no local. Os suspeitos do crime fugiram em uma moto. O caso da cidade se soma à realidade de outros municípios baianos. Em Simões Filho, outra mulher  foi assassinada brutalmente, desta vez, a golpes de faca. Apesar do socorro prestado por equipes do SAMU, Maria de Fátima dos Santos, de 35 anos, não resistiu e morreu no local.

 

Compartilhar