Anderson comemora, e Derek Brunson lamenta o anúncio do resultado da luta no UFC 208.

O primeiro round foi, na maior parte, de estudo. Aos poucos, Anderson foi se soltando, enquanto o Brunson parecia um tanto intimidado. O brasileiro acertou bons golpes, mas no final foi acertado pelo americano, que equilibrou o assalto.

Mais à vontade, Anderson controlou melhor o centro do octógono. Brunson sentiu um golpe próximo ao olho e, atacado, conseguiu levar o brasileiro pro solo. Mas por pouco tempo. O Spider levantou voltou a tomar as rédeas do combate e chegou a gingar como se estivesse lutando capoeira no fim do assalto.

O terceiro foi o round mais aberto. Já sem medo, Brunson partiu pra cima, mas era pego no contra-ataque. Ainda assim, o americano era contundente. Com 1:40 faltando para o fim da luta, ele conseguiu levar Anderson para o chão e lá manteve o embate até o final, ainda que sem realizar danos ao brasileiro.

A luta poderia ir para qualquer lado, mas todos os árbitros deram a vitória para o brasileiro: 29-28, 29-28 e 30-27, resultado que emocionou muito o Spider. “Primriamente, obrigado a todos. Estou muito feliz. Eu vim trabalhando duro muito pra lutar aqui, coloquei meu coraçao, lutei pela família e quando venho aqui quero proporcionar o melhor a todos”, disse, ainda no octógono. Foi a 34ª vitória do brasileiro em sua carreira. Ele ainda possui oito derrotas e uma luta sem resultado.

Além de Anderson, mais dois atletas nacionais estiveram no card principal. Na segunda luta, o mineiro Glover Teixeira teve algum trabalho mas bateu o americano Jared Canonnier por decisão unânime dos árbitros. Glover dominou o rival no chão, no entanto, chegou a sofrer alguns sustos quando a luta esteve em pé

Já Ronaldo Jacaré, que fez a terceira luta do card principal, mal suou contra o americano Tim Boestch. Com pouco mais de três minutos de combate, Jacaré finalizou Boestch com uma Kimura. O brasileiro pediu uma chance pelo cinturão dos médios, de posse do inglês Michael Bisping

No card preliminar lutaram mais dois brasileiros. Roan Jucão foi derrotado pelo americano Ryan LaFlare por decisão unânime dos árbitros, mesmo resultado do triunfo de Wilson Reis sobre o japonês Ulta Sasaki.

Compartilhar