A Justiça determinou na última quarta-feira (01/11) que o prefeito de Madre de Deus, Jeferson Andrade, deverá seguir sendo investigado pelo Ministério Público do Estado MP-BA) pelo crime de improbidade administrativa. A decisão, para a qual Jeferson já havia recorrido, pesou entre seus aliados, que temem um transbordamento negativo de sua imagem sobre os planos para 2018.

Este é particularmente o caso do atual secretário de governo de Madre de Deus e braço direito de Jeferson, Nilton Bastos. “Niltinho”, como é popularmente chamado no município, é pré-candidato a deputado estadual e conta claramente com a influência política de Jeferson para pleitear sua vaga na Alba em 2018.

Claramente, a decisão da Justiça, ao manter sob Jeferson a áurea de desconfiança contra a credibilidade e idoneidade de seu governo – fenômeno que só cresça na opinião pública municipal – tende a influir negativamente em seus aliados diretos. Para desfazer o sintoma, Nilton deve terminar apostado em uma visibilidade mais individual para sua pré-campanha, buscando dissociar-se, ao menos até um julgamento favorável ao investigado (Jeferson).

Compartilhar