Irmão Gerson denunciou problemas na educação, saúde e infraestrutura.

Mesmo de férias, o vereador do Democratas (DEM) em Candeias, Irmão Gerson, manteve suas famosas “blitz legislativas”. As aparições de fiscalização do vereador ao longo do período de recesso da Câmara Municipal se concentraram em tópicos da saúde, educação e infraestrutura. Em sua análise, as intervenções de fiscalização se fazem ainda mais necessárias com a divulgação do orçamento de R$300 milhões que esteve a disposição do prefeito, Dr. Pitágoras, no último ano.

Começando pela Educação, Gerson denunciou as condições inadmissíveis encontradas na Escola Municipal Egberto Ferreira, no bairro da Urbis II. No colégio, cujas condições degradantes já haviam sido alertadas pelo vereador ao prefeito, persistem problemas como matagais, portas e janelas quebradas, falta de água e instrumentos básicos de limpeza, além da unidade escolar vir servindo como depósito para pneus, blocos e outros materiais. A situação contrasta com o orçamento de 93 milhões a disposição da secretaria de Educação (SEDUC) para 2017.

Os problemas na saúde também se arrastam desde 2017. Em visita surpresa a emergência pediátrica do recém-reformado Posto Luís Viana, no Centro da cidade, o vereador denunciou a falta de atenção médica com as crianças atendidas no local: “o médico praticamente não tocou na criança e logo a encaminhou para o Ouro Negro. Procurei saber seu nome na recepção do posto, mas me foi negado”.

Ainda de acordo com o vereador, a unidade, que no momento de sua visita continha mais de 20 crianças, aparentemente só dispunha de um único médico, cuja especialidade em pediatria não foi afirmada nem negada pelo profissional de saúde, quando questionada. No Posto de Saúde da Família, em Passé, a situação foi ainda mais constrangedora para o legislador. Lá, o vereador foi impedido de entrar para fiscalizar as condições de funcionamento da unidade, em clara violação e afronta à Constituição Federal.

Os problemas encontrados pelo vereador também se estendem a área da infraestrutura. Quando esteve na Rua Calmon, no Bairro da Paz, o Gerson foi recepcionado por uma cratera que só cresce no local. Moradores afirmam que veem há meses denunciando a situação para os órgãos da prefeitura, mas até o momento sequer tiveram respostas.

 

Compartilhar