Candeias: À frente da PHL, Fidelis Junior dá exemplo de competência no município

0
2413

PHL já acumula ações no social, cultural, na saúde e na infraestrutura da cidade.

A responsabilidade social corporativa (RSC) tem se tornado um princípio norteador cada vez mais exigido para os empreendimentos de médio e longo porte. Empresas que possuem uma grande inserção social e um diálogo saudável com as comunidades em seu entorno, têm maior estabilidade de mercado e contribuem mais para o desenvolvimento local e regional.

Em Candeias, a empresa PHL, distribuidora de combustíveis, destaca-se nessa modalidade de atuação. Com uma crescente participação na vida social e cultural do município, o responsável pela PHL, Fidelis Júnior, ou Júnior da PHL, como é conhecido, sabe cada necessidade das comunidades e trabalhadores da cidade, tanto quanto consegue mapear exatamente onde e no que a empresa pode ajudar para alavancar, além de milhares de empregos diretos e indiretos, o desenvolvimento da cidadania.

Mesmo sem divulgação midiática, Fidelis Júnior empreende um verdadeiro trabalho humanitário a frente da PHL, baseada na Jabequara. Em sua atuação, ele traça missões, metas e objetivos que unem a generosidade humanitária com a performance e a responsabilidade da distribuidora de combustíveis com as populações de Candeias e região.

Fidelis, a frente da PHL, contabiliza inúmeras ações sociais na forma de obras, incentivo à cultura, à saúde e bem-estar das populações de Candeias. A magnitude de algumas dessas ações já são bem conhecidas entre as comunidades atendidas, e com vistas a dar melhor visibilidade a elas, o Bahia Notícia decidiu mostrar alguns dos empreendimentos sociais tocados pela PHL sob o engajamento humanitário, o compromisso e a ética de Junior Fidelis. Acompanhe abaixo algumas das ações.

Obras e Cidadania:

Com um quadro de visível precariedade e incorrendo ao risco de desabamento, a ponte que ligava a PHL e a Biodiesel Candeias colocava em eminente vulnerabilidade a vida de trabalhadores e moradores da região. Mesmo sendo de responsabilidade do governo municipal, as obras de reparo ao trecho foram classificadas como “urgente” pelo gerente Fidelis Júnior, que cumpriu com sua responsabilidade sem a exigência de contrapartidas (Isenção de impostos) da administração pública municipal.

A PHL também esteve por trás da reforma de uma praça no povoado do Malembá de Baixo, localidade que vive profundo caso de invisibilidade diante do poder público do município. Também ali, atendendo ao pedido de uma moradora e líder comunitária, Mara Santos, a PHL realizou a reforma totalmente gratuita e ecologicamente sustentável de um lar, que foi reconstruído com pneus e garrafas PET reciclados. Os toneis de aço que contaminavam a paisagem do local agora são utilizados para a coleta seletiva (com auxílio de veículo da própria empresa), enquanto uma horta comunitária agora serve à comunidade gratuitamente com o que há de melhor em frutas e legumes orgânicos.

Saúde:

A PHL também tem grande preocupação com os temas relacionados à saúde e bem estar, tanto de seus funcionários, como de toda a população de onde atua. Com essa abordagem a empresa promoveu em novembro de 2015 a campanha “27 de Novembro Azul”. A Campanha reuniu profissionais da saúde voltados para a conscientização de funcionários e o público masculino geral sobre a importância do exame clínico para o diagnóstico e tratamento do câncer de próstata, uma das doenças que mais matam homens em todo o país. A campanha não parou por aí. Teve medição de pressão arterial, verificação de glicemia entre outras modalidades de exames e atividades que devem ajudar no acompanhamento do quadro de saúde da população masculina participante.

Cultura:

Infelizmente a grande maioria dos jovens candeisenses, homens e mulheres, não têm o devido acesso à Cultura como resultado de políticas públicas promovidas em âmbito local ou regional. Este fator está diretamente ligado ao aumento da criminalidade entre essa faixa etária da população ou sua marginalização do mercado de trabalho e do sistema de educação.

Preocupada com a qualidade de vida e a acesso aos bens culturais da juventude, a PHL adota uma política de incentivo (técnico, financeiro, informacional) às práticas culturais dentro voltadas à juventude da cidade. Essa foi uma forma encontrada pela empresa de impulsionar o desenvolvimento das faculdades artísticas e intelectuais no município e incentivar o empreendedorismo cultural na região.

LEAVE A REPLY