BOMBA: RLAM em São Francisco do Conde pode ser vendida à empresa estrangeira

0
15510

 Informação foi confirmada por líder sindical.

A Refinaria Landulpho Alves (RLAM), em São Francisco do Conde, pode estar à beira de ser vendida ao grupo francês, Total. Segundo informações concedidas ao Bahia Noticia pelo líder sindical, Deyvid Bacelar, coordenador geral do Sindipetro Bahia e ex-membro do Conselho da Petrobras, e publicadas pelo jornal Valor Econômico, as negociações estariam ocorrendo a meses e preveem a venda de 50% dos ativos da Refinaria (pertencente à PETROBRAS) para os investidores estrangeiros.

Segundo o sindicalista, o acordo venda das ações compreende todo o sistema de logística da refinaria, ou seja, o Terminal de Madre de Deus (Temadre), tubovias, etc. A Total já teria adquirido 50% das ações das termoelétricas Celso Furtado e Rômulo Almeida, além de passar a ter o direito de compartilhar do Terminal de Regaseificação na Bahia.

Apesar da Petrobrás omitir as informações, fontes indicam que no próximo dia 12/01, representantes da Total estariam visitando UTE-CF, UTE-RA, RLAM e TEMADRE, acompanhados do Diretor de Estratégia da Petrobras, Nelson Silva. A visita teria o objetivo de mostrar aos investidores as condições de operação, infraestrutura e logística da refinaria.

O processo de privatização em curso se assemelha ao já ocorrido em 2001 com a REFAP. Naquele ano, 30% das ações da empresa foram vendidas ao grupo espanhol, Repsol, período em que os investidores dessa corporação buscaram ampliar sua margem de retorno reduzindo os custos de operação da refinaria, o que se traduziu numa grande redução figuradas em largas campanhas de demissão.

A categoria dos petroleiros e petroquímicos têm convocado assembleias e buscado chamar a atenção dos trabalhadores e população para a situação, e culpam o governo de Michel Temer pelo processo de privatização do patrimônio nacional que pode colocar milhares nas filas do desemprego nos próximos meses.

LEAVE A REPLY