Bahia: Pela primeira vez, Barra é palco da abertura oficial do Carnaval de Salvador

(Foto: Max Haack/ Agência Haack)

Pela primeira a Barra foi palco da abertura oficial do Carnaval de Salvador. Com o Farol da Barra como cenário, o Rei Momo recebeu a chave da cidade das mãos do prefeito ACM Neto e vai comandar a folia até a quarta-feira de cinzas. A cerimônia, realizada no camarote 2222 nesta quinta-feira (8), contou com a presença de autoridades locais, patrocinadores da festa e artistas, entre elas a anfitriã Preta Gil.

O governador Rui Costa faltou à solenidade pela primeira vez. Ele participa da abertura dos festejos no Campo Grande. Logo após a entrega das chaves, a cantora Claudia Leitte iniciou o desfile de abertura da festa, partindo do farol e arrastando com ela uma multidão de foliões.

“Hoje estamos mostrando o nosso Carnaval para todo o mundo. Todos os ingredientes já estão reunidos para fazermos a maior festa de todos os tempos. Salvador faz o Carnaval mais participativo e democrático do Brasil, com a presença do Furdunço, da folia sem cordas”, afirmou o prefeito.

O rei momo prometeu privilegiar o Carnaval nos bairros da capital baiana. “Espero que seja um carnaval de paz e que as pessoas ocupem as ruas, com alegria, com suas fantasias. Quero ir ao Campo Grande, à Barra e também aos camarotes, mas quero focar nos bairros, ir até onde as pessoas estão”, afirmou.

Decisão
Questionado se seria este seu último Carnaval como prefeito, Neto desconversou e disse ainda não ter definição sobre candidatura ao governo do estado em outubro. Ele revelou que as conversas para assumir a presidência nacional do DEM estão avançadas, mas que não há ainda decisão tomada.

“Existe uma manifestação favorável da maioria dos líderes estaduais, mas vamos dialogar. A condição de acontecer é que haja consenso entre todos”, afirmou.

Após o Carnaval, ele afirmou que retornará às conversas sobre sucessão estadual com lideranças partidárias do estado. “Pessoas que me conhecem intimamente, que estão na minha casa, sabem que eu ainda não decidi. Já estamos fazendo análises com pesquisas, no corpo a corpo com as pessoas”, contou.

Ele disse ainda não saber os motivos da ausência de Rui. “Liguei para ele essa semana, conversamos, abrimos diálogo entre as duas equipes, os cerimoniais da prefeitura e do.governo. agora, é um direito que ele tem de não vir. Ninguém é obrigado a ir aos lugares. Se por acaso foi por um motivo de natureza política, aí eu até posso.comentar. Mas até lá preciso saber qual foi o motivo”, afirmou.

O secretário de Turismo do estado, José Alves, que representou o governador, negou qualquer razão de natureza política para a ausência de Rui. “Estamos querendo fortalecer a cidade como um todo. A festa no Campo Grande também está muito bonita. Um na Barra e outro no Campo Grande é bom para todo mundo, fortalece os dois circuitos”, disse.